Otosclerose, perda auditiva e implantes auditivos. O que você deve saber

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Não se conhece a ciência certa da causa da otosclerose, mas sim suas consequências: a perda auditiva. Essa condição é possível de ser tratada com um implante auditivo. 

A otosclerose se define em poucas palavras: trata-se de um crescimento ósseo anormal no ouvido médio que causa a perda auditiva. Este crescimento impede que o som chegue até o ouvido interno causando a perda auditiva.

Quando isso acontece, a perda auditiva é conhecida como condutiva, mas também pode ser que, por causa da otosclerose, se apresente uma condição chamada de perda auditiva neurossensorial, ou seja, existem falhas tanto no ouvido interno quanto no nervo auditivo¹

É um processo crônico e progressivo que tende a se manifestar na juventude ou no início da fase adulta. Por isso é importante consultar um especialista em audição se houver qualquer suspeita de perda auditiva

O que causa a otosclerose?

Até este momento não existe um estudo científico que esclareça a causa exata desta condição. No entanto, existe uma relação congênita. Ou seja, para os pais com otosclerose é uma boa ideia estar atentos à audição dos seus filhos, principalmente por ser de conhecimento que existem casos em que não causa perda auditiva².

Quais são os sintomas da otosclerose?

O mais relevante, sem dúvidas, é a perda auditiva. No entanto, pode ser que não se apresente imediatamente (vale ressaltar que a surdez súbita é uma emergência médica e deve ser tratada imediatamente). 

O Instituto Nacional da Surdez e Outras Desordens da Comunicação dos Estados Unidos estabelece em sua página web alguns sinais que poderiam indicar a otosclerose; no entanto, lembre-se que será um especialista em audição que, após uma série de exames, determinará se de fato existe a doença. 

Quais são os sintomas da otosclerose?

A otosclerose tem tratamento?

Sim, mas é importante esclarecer que não se trata de um tratamento farmacológico. Ou seja, não existe um medicamento que impeça o crescimento ósseo anormal responsável pelo mau funcionamento das estruturas do ouvido.

A perda auditiva neurossensorial ou condutiva causada pela otosclerose pode ser remediada também com o uso de implantes auditivos (cocleares ou de condução óssea, dependendo de cada caso) que permitirá que as pessoas recuperem a audição perdida. 

Soluções para a perda auditiva neurossensorial causada pela otosclerose

Como em todos os casos de perda auditiva, será o especialista — ou a equipe de especialistas — que decidirá qual é o melhor tratamento de acordo com o tipo de perda auditiva, se afeta um ou os dois ouvidos (unilateral ou bilateral) e o grau de severidade da perda.

Para o caso da perda auditiva neurossensorial é possível que a pessoa acometida seja candidata a um implante coclear. Com esta solução auditiva (e com o adequado processo de reabilitação) é possível que a pessoa possa escutar novamente. 

Vale a pena lembrar que a perda auditiva neurossensorial é aquela que acomete o correto funcionamento do ouvido interno com relação ao nervo auditivo e pode causar uma lesão em somente um ou ambos os ouvidos. 

Soluções para a perda auditiva condutiva causada pela otosclerose

Quando a otosclerose é a causadora da chamada perda auditiva condutiva, é possível que a pessoa seja candidata a um tipo diferente de implante: o acústico, também chamado de condução óssea. 

A perda auditiva condutiva se apresenta quando existem lesões ou obstruções no ouvido externo ou ouvido médio que impedem que o som chegue corretamente ao ouvido interno e, assim, ao nervo que conduz os sinais auditivos ao cérebro. 

O implante de condução óssea permite levar a informação sonora evitando as partes lesionadas do ouvido, permitindo que as pessoas acometidas pela otosclerose possam escutar novamente. 

Reabilitação após o implante auditivo

Finalmente, é importante lembrar que todo tratamento contra a perda auditiva, causada ou não pela otosclerose, deve incluir um processo de reabilitação da audição para permitir que a pessoa aprenda a escutar de novo por meio do implante auditivo e seu respectivo processador de som.

O processo de reabilitação visa restaurar as habilidades auditivas que poderiam ter sido perdidas durante o tempo em que o ouvido deixou de funcionar e exige o compromisso da pessoa implantada para atingir os resultados esperados.

Isenção de responsabilidade

Procure aconselhamento junto do seu profissional de saúde sobre os tratamentos para a perda auditiva. Os resultados podem variar e o seu profissional de saúde irá aconselhá-lo acerca dos fatores que podem afetar o seu resultado. Leia sempre as instruções de uso. Nem todos os produtos estão disponíveis em todos os países. Contacte o seu representante local da Cochlear para obter informações sobre os produtos.

Referências

D1907341