O que é a surdez súbita e por que é uma emergência médica?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

É possível que, de um momento a outro, a pessoa perca a capacidade de escutar. Isso é o que se conhece como surdez súbita. Tende a afetar um só ouvido e deve ser tratada como uma emergência médica. Aqui nós contamos para você o porquê.

Pode acontecer com qualquer pessoa. Acordar em uma manhã qualquer e descobrir que deixou de escutar por um dos seus ouvidos. Alguns culpam a sinusite ou acham que é em razão de um recente resfriado. Ou não entendem a razão, mas podem pensar que é um assunto temporal, que a audição voltará a ser como era antes, por ambos os ouvidos. No entanto, a surdez súbita é uma emergência médica e como tal deve ser tratada. Por quê?

O que pode estar acontecendo é que algumas das estruturas do ouvido deixaram de funcionar corretamente e o atendimento médico imediato é necessário para reverter essa situação, pois como diz o Instituto Nacional da Surdez e Outros Transtornos da Comunicação dos Estados Unidos (NIDCD, por sua sigla em inglês), “receber tratamento de maneira oportuna aumenta muito a possibilidade de que se recupere pelo menos uma parte da audição”¹.

Em algumas ocasiões pode existir sintomas associados com a surdez súbita como enjoo, um leve zumbido (tinnitus) ou a sensação de ter tapado um ouvido. Mas será um médico quem definirá se, verdadeiramente, se trata de uma surdez súbita ou de algum outro tipo de transtorno da audição. O importante é consultar.

O que ocasiona a surdez súbita?

Uma das grandes incógnitas quando se apresenta esta perda auditiva é o que pode ter causado essa situação. Existem algumas infecções que estão relacionadas, mas, em muitos casos, há incerteza e não se sabe a razão pela qual, de um momento a outro, a pessoa deixou de escutar por um ouvido. 

Ou seja, há infecções que podem comprometer o nervo auditivo inflamando-o e afetando seu funcionamento; mas também está associada com a perda auditiva de outras naturezas, como batidas na cabeça ou doenças autoimunes, por exemplo. Também pelo uso de medicamentos ototóxicos.

>>O que é a perda auditiva ou surdez?<<

Como se trata a surdez súbita?

A surdez súbita ou perda auditiva neurossensorial súbita pode acometer entre uma e seis pessoas em cada 5.000², diz o NIDCD, mas reconhece que os casos podem ser maiores pela falta de consulta a tempo. Outras medições, como a que é feita pelo Ministério de Saúde da Colômbia e publicada em 2016, indicam uma prevalência de 4.037 para cada 100.000 habitantes³.

Ou seja, não é uma situação muito frequente, mas também não é desconhecida para os médicos especialistas em audição. 

O tratamento tende a ser realizado com corticosteroides em versão oral ou injeções intratimpânicas, segundo decisão do médico e condições de cada pessoa e sua perda auditiva. O tratamento deve começar o quanto antes para evitar acometimentos permanentes. Demorar para iniciar o tratamento tem como consequência a diminuição de possibilidades de reverter ou diminuir o quadro de perda auditiva.

O que acontece se, após um episódio de surdez súbita, a audição não for restabelecida?

Segundo o Instituto Nacional da Surdez e Outros Transtornos da Comunicação dos Estados Unidos, “aproximadamente metade das pessoas com surdez súbita recupera parte ou toda sua audição espontaneamente”. Há casos em que isso não acontece e, por isso, é necessário apelar a outras soluções para que essas pessoas recuperem o que os especialistas chamam de binauralidade, que é a capacidade de escutar por ambos os ouvidos.

Quando isto acontece, os especialistas, depois de uma série de exames diagnósticos, poderão definir se a pessoa precisa de um aparelho auditivo ou de um implante coclear para poder escutar corretamente pelo ouvido acometido.

Essa definição — se usar um aparelho ou um implante — se tomará dependendo, entre outras variáveis, do grau da perda que pode ser leve, moderada, severa ou profunda. Para os dois últimos casos, tende a ser recomendado o implante coclear. 

Os benefícios de um implante coclear

A perda auditiva neurossensorial, súbita ou não, é aquela que acomete a cóclea ou o nervo auditivo, ou seja, é uma lesão no ouvido interno. O implante coclear visa substituir essas partes que pararam de funcionar como deveriam, permitindo que os estímulos sonoros cheguem efetivamente até o cérebro para serem interpretados e que a pessoa, assim, possa escutar novamente.

Os implantes cocleares são uma solução a longo prazo para a perda auditiva; com mais de 40 anos de existência e em constante evolução, têm demonstrado ser efetivos para tratar a perda auditiva e melhorado a qualidade de vidas das pessoas que a apresentam.

Poder continuar com seus hábitos, voltar a desfrutar de seus hobbies ou, inclusive, recuperar as possibilidades de trabalho, são alguns dos benefícios que poderiam estar relacionados com um implante coclear.

O mais relevante, no entanto, será consultar um especialista em audição caso apresente algum tipo de perda auditiva.

Isenção de responsabilidade

Procure aconselhamento junto do seu profissional de saúde sobre os tratamentos para a perda auditiva. Os resultados podem variar e o seu profissional de saúde irá aconselhá-lo acerca dos fatores que podem afetar o seu resultado. Leia sempre as instruções de uso. Nem todos os produtos estão disponíveis em todos os países. Contacte o seu representante local da Cochlear para obter informações sobre os produtos.

Referências

D1947851