Quais são os benefícios dos implantes acústicos de condução óssea?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Dentre as soluções para a perda auditiva estão os implantes acústicos de condução óssea, mas não são para todo tipo de perda auditiva. Quando ou por que se recorre a eles? 

O som viaja pelo ar, em ondas sonoras que o organismo é capaz de converter em impulsos elétricos para decodificá-los no cérebro. Mas o som também produz vibrações e é a partir destas que os implantes acústicos trabalham para solucionar certas condições que produzem a perda auditiva.

Normalmente, os sons são “capturados” no ouvido externo e levados através de diferentes estruturas até o ouvido interno que é onde se encontram as células auditivas que tornam possível em grande parte a audição. 

Como funcionam os implantes acústicos? Por meio da condução óssea. Estes implantes acústicos e implantes auditivos ativos permitem, às pessoas com lesões no ouvido externo e médio, que o som viaje até o ouvido interno fazendo uso da vibração, levando-a — ou conduzindo-a — através do osso do crâneo, ultrapassando as estruturas lesionadas do ouvido.

Estes implantes oferecem um som claro, sem distorções, tornando possível que as pessoas com perda auditiva condutiva, neurossensorial unilateral (SSD) ou mista, melhorem sua capacidade de ouvir.

Quais são os benefícios dos implantes acústicos como os do Sistema Osia® da Cochlear™?

Em pessoas com perda auditiva condutiva ou mista

Em pessoas com perda auditiva unilateral (SSD)

Em crianças

Talvez seja do seu interesse ler: Como funciona a audição? e a sua perda?

O que são os implantes acústicos de condução óssea?

Seu nome é autoexplicativo, ou seja: trata-se de dispositivos que visam conduzir o som através do osso, que é um meio natural para a audição, até o ouvido interno, evitando as lesões em outras estruturas como mencionado anteriormente.

Desde o século XVII, a existência da condução óssea é conhecida¹, e a existência dos implantes acústicos para tratar a perda auditiva  tem ao redor de 40 anos.

Quando os implantes acústicos de condução óssea são necessários?

Ressalta-se que nem todos os casos de perda auditiva são indicados para o tratamento com os implantes acústicos. 

Então, quais são? Tendem a ser, especialmente, para os casos de perda auditiva condutiva, porque é este tipo de perda que compromete as estruturas do ouvido externo e médio, evitando que o som chegue adequadamente ao ouvido interno.

Para os casos de microtia e atresia também, pois há ausência ou falhas na formação do pavilhão auditivo ou do canal auditivo externo. 

As infecções de ouvido constantes e repetitivas podem ser responsáveis pela perda auditiva condutiva, bem como a otite externa ou média crônica. Também pode ser causada por um corpo estranho no canal auditivo ou por otosclerose, entre outras circunstâncias.

Também podem ser indicados para perdas auditivas neurossensoriais unilaterais ou para perdas mistas.

É importante ressaltar que, antes de realizar o implante, o cirurgião deve avaliar o paciente para determinar se de fato é possível realizar a intervenção. Por outro lado, se você for candidato para um implante de condução óssea, deve saber que é necessária uma cirurgia que implica uma série de possíveis riscos que devem ser levados em consideração.

Como os implantes de condução óssea são implantados?

Como mencionado antes, é necessário realizar uma cirurgia para poder colocar o implante acústico Baha® que consiste de três partes:

Após a cirurgia, deve-se esperar que o processo de osseointegração se complete para realizar a ativação do processador de som, e este pode demorar até quatro meses.

No caso do Sistema Osia®, este somente é composto de duas partes:

Como se vê o implante acústico de condução óssea após a cirurgia?

Nas alternativas com ímã e para o Sistema Osia, o implante não pode ser visto. O usuário poderá sentir, com o tato, uma pequena protuberância embaixo da pele, mas o implante será invisível para as demais pessoas se não estiver usando o processador de som. Para a alternativa de conexão por um pilar, é possível vê-lo, no entanto, com o cabelo, é pouco visível.

É importante saber que o processador de som é ajustado segundo o grau de perda auditiva. Não é possível que seja usado por dois usuários diferentes e nem que seja feita a troca de processadores entre uma pessoa implantada com outra com perda auditiva bilateral. 

Será necessário, de qualquer maneira, continuar com um processo de reabilitação para que as pessoas implantadas aprendam a escutar com este novo dispositivo.

Considerações com os implantes acústicos de condução óssea

O clima e o ambiente em que se vive, a ocupação ou tarefas diárias do candidato e, em geral, o estilo de vida das pessoas podem motivar a mudança. Estar bem assessorado é fundamental para tomar a melhor decisão.

No entanto, lembre-se que deve ser um especialista que, depois de uma série de testes e considerações, vai definir a necessidade de realizar a cirurgia de um sistema de implante acústico.

Isenção de responsabilidade

A informação neste guia é somente para fins educativos e não tem a intenção de diagnosticar, prescrever tratamento ou substituir o conselho do médico. Consulte o seu médico ou profissional da saúde sobre os tratamentos para a perda da audição. Eles poderão assessorar sobre uma solução adequada para a sua condição de perda auditiva. Todos os produtos devem ser usados somente segundo as indicações do seu médico ou profissional da saúde. Nem todos os produtos estão disponíveis em todos os países. Por favor, entre em contato com seu representante local da Cochlear™.

D1866846