Você pode ajudar em sua reabilitação auditiva estando em casa

Reabilitação auditiva em casa
novembro 3, 2020

A reabilitação auditiva é um processo que necessita da participação de especialistas, mas também do compromisso dos usuários dos diferentes dispositivos auditivos. Estando em casa, você pode estimular sua audição.

Uma pessoa com perda auditiva que já está em tratamento ou recebeu algum tipo de dispositivo auditivo (podem ser aparelhos auditivos ou implantes) deve incluir no seu processo a reabilitação auditiva. Ouvir com o Nucleus® ou o Baha® é diferente à audição natural. Recuperar a capacidade de escutar graças a estes equipamentos necessita de um processo de reaprendizagem.

Sim, é verdade que é um processo que deve incluir especialistas, como audiologistas, fonoaudiólogos, terapeutas da linguagem e otorrinolaringologistas, entre outros, mas também é verdade que o sucesso da reabilitação, a aprendizagem de novas habilidades comunicativas e o uso correto dos dispositivos exige dedicação dos usuários e dos seus responsáveis.

O primeiro passo, certamente, é identificar a perda auditiva. Nos recém-nascidos se utiliza o teste da orelhinha. Para as crianças, adolescentes e adultos podem ser: a audiometria, a logoaudiometria e a impedanciometria entre outra série de testes diagnósticos para determinar o correto funcionamento da audição ou identificar a razão e o tipo da perda auditiva que está apresentando. Isto permite, por sua vez, definir o tratamento a seguir com cada pessoa e, já está dito, mas é importante repetir, um processo de reabilitação.

Reabilitação auditiva em crianças

A chave na reabilitação auditiva está muito relacionada com o estado do desenvolvimento da linguagem em que se encontra a criança. 

Em casa, depois da criança ter sido implantada, deve-se tanto estimular o desenvolvimento da linguagem quanto fortalecer sua audição por meio de rotinas diárias. Em bebês, é especialmente recomendável narrar cada uma das atividades. Ao dar banho, dar a comida ou trocar as fraldas, pode-se aproveitar para, com voz clara e palavras completas, narrar o que se está fazendo. É válido o uso de onomatopeias (ou a imitação de alguns sons: toc toc, muuu, au au, trimmm), com o fim de que aprendam a identificá-los e possam usá-los à medida que forem desenvolvendo a fala.

Tanto em crianças quanto nos adultos pós-linguais, o fundamental é fortalecer a memória auditiva para melhorar a capacidade, mantendo a aprendizagem de novas palavras. As rotinas domésticas (varrer, limpar, lavar a roupa, cozinhar) são ideais para isso, pois podem estar cheias de instruções com detalhes que ampliam o vocabulário e, por sua vez, fortalecem a escuta. Além disso, é importante fomentar a audição em vez de outros métodos de comunicação como a leitura de lábios ou a língua de sinais.

Adultos e crianças devem conseguir identificar os seis sons que contêm a totalidade do espectro da fala.
Mmm;
Uuu;
Aaa;
Iii;
Shh;
Sss.

Reabilitação auditiva em adultos

A presbiacusia é o nome que recebe a perda auditiva da maioria dos idosos. Este declínio é somente uma das causas da perda auditiva, mesmo sabendo que pode afetar 80 por cento das pessoas com mais de 75 anos e seus sintomas surgem com anterioridade, pois é uma perda gradual da audição que isola as pessoas quando não recebem o tratamento adequado.

Há outras causas, como por exemplo: os traumatismos ou a exposição a medicamentos ototóxicos (prejudiciais para a audição). Pode ser também que não se perca a audição subitamente (o que é considerada uma emergência médica).

O caso é que quando um idoso perde a capacidade de ouvir, recuperá-la é um processo que inclui aprender novamente certas palavras, pois com os aparelhos auditivos não se escuta igual. 

Trata-se tanto de “reaprender” a ouvir quanto de saber utilizar o dispositivo (aparelho auditivo ou implante) da melhor maneira possível para aproveitar todas as vantagens que oferece.

Em casa é possível exercitar a audição tentando identificar os sons mais comuns: batidas de portas, o toque do telefone, o som do microondas ou da máquina de lavar. Deve-se começar primeiro em casa e depois pelo bairro para que ajude a estimular a audição. 

O seguinte passo é diferenciar esses sons. Não somente escutá-los, mas identificá-los. Como por exemplo: o telefone, a televisão, a campainha, o brinquedo do cachorro … 

Esta reaprendizagem é fundamental e necessita a participação dos usuários de soluções auditivas e também a colaboração dos responsáveis, se for o caso.

Tenha em conta
A informação neste guia é somente para fins educativos e não tem a intenção de diagnosticar, prescrever tratamento ou substituir o conselho do médico. Consulte o seu médico ou profissional da saúde sobre os tratamentos para a perda da audição. Eles poderão assessorar sobre uma solução adequada para a sua condição de perda auditiva. Todos os produtos devem ser usados somente segundo as indicações do seu médico ou profissional da saúde. Nem todos os produtos estão disponíveis em todos os países. Por favor, entre em contato com seu representante local da Cochlear™.

D1778234