Quando é necessário um implante acústico de condução óssea?

implante acústico ou coclear

Quando é necessário um implante acústico de condução óssea?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter

As soluções para a perda auditiva variam de acordo com o tipo e nível de perda que cada pessoa tem. Pode ser que seja necessário o uso de aparelhos auditivos e que necessite de um implante. Um profissional de saúde auditiva definirá qual é a melhor opção para você.

Nem todas as perdas auditivas são iguais. Portanto, não podem ser tratadas da mesma maneira. Há diferentes tipos e diferentes graus: de leve a profunda, passando por moderada e severa. 

De acordo com o tipo e o grau da perda auditiva, os especialistas em saúde decidirão se você necessita de um implante coclear ou um implante acústico. 

No entanto, este último normalmente é utilizado para tratar os casos de perda auditiva causados por problemas nas estruturas do ouvido externo e do ouvido médio. Os implantes acústicos são os indicados para pessoas que não podem usar aparelhos auditivos convencionais, seja por patologias como a malformação do ouvido externo ou médio (a microtia e a atresia, por exemplo) ou porque outras soluções não oferecem o rendimento necessário para diminuir a perda auditiva.

Como saber se os implantes acústicos são necessários?

Quem define se uma pessoa é candidata ao implante e qual o tipo a ser utilizado para tratar a perda auditiva é o especialista em saúde auditiva (audiologista ou otorrinolaringologista, por exemplo). São estes profissionais que, depois de realizar os testes necessários, identificam a condição e a melhor solução que a pessoa com perda auditiva pode receber. 

O dispositivo acústico converte as vibrações em sons, enviando-os ao ouvido interno por meio dos ossos da cabeça, aproveitando a capacidade natural do corpo e permitindo que as pessoas possam voltar a escutar. 

Ou seja, o implante acústico ultrapassa as partes bloqueadas até chegar ao ouvido interno onde as vibrações se convertem em sinais elétricos que chegam até o cérebro, onde se interpreta o som. Soa quase como mágica, mas é ciência, pesquisa e desenvolvimento.

>>Aprenda mais sobre a perda auditiva<<

Características de um implante acústico

Da mesma maneira que o implante coclear, o implante acústico tem um componente interno (o próprio implante) e um externo (o processador de som). Além disso, necessita de um ímã que une o processador com o implante. 

O trabalho conjunto destas três partes é o que possibilita captar o som e enviá-lo até o ouvido interno utilizando os ossos da cabeça. A Cochlear™ conta com dois sistemas de condução acústica: Osia® e Baha®

Esses sistemas necessitam de uma cirurgia que permite realizar o implante e fixá-los ao osso para que possa desempenhar sua função. Essa integração é realizada com o osso que se encontra atrás da orelha, chamado mastoide. 

Após a cirurgia, deve-se esperar algumas semanas (até 12, normalmente) antes de unir o implante com o processador de som. Previamente à cirurgia e à ativação do implante — bem como depois disso — o usuário deverá fazer parte de um processo de reabilitação para aprender a escutar com esta solução.

Tenha em conta

A informação neste guia é somente para fins educativos e não tem a intenção de diagnosticar, prescrever tratamento ou substituir o conselho do médico. Consulte o seu médico ou profissional da saúde sobre os tratamentos para a perda da audição. Eles poderão assessorar sobre uma solução adequada para a sua condição de perda auditiva. Todos os produtos devem ser usados somente segundo as indicações do seu médico ou profissional da saúde. Nem todos os produtos estão disponíveis em todos os países. Por favor, entre em contato com seu representante local da Cochlear™.

D1845691