As cidades barulhentas são consideradas como um risco auditivo?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Morar ou trabalhar em lugares especialmente barulhentos da cidade pode trazer efeitos nocivos para a saúde auditiva. O trânsito, a indústria, a amplificação do som a altos volumes, todos esses fatores são considerados de risco.

Todos nós estamos sujeitos a isso: constantemente expostos a diferentes tipos de sons durante todo o dia. Vozes, música, o meio ambiente … E barulhos também. As máquinas, os carros, os aviões. Mas, de tudo isso, o que poderia representar um risco auditivo? Como nossa saúde auditiva poderia estar em risco?

A exposição ao barulho tende a ser considerado um fator de risco. E não somente para as pessoas que trabalham em ambientes barulhentos, como em pubs, bares ou discotecas… Ao morar em cidades muito barulhentas, você também pode estar expondo a sua saúde auditiva.

Quais são as cidades mais barulhentas do mundo?

Há alguns anos (em 2017, para sermos precisos) a empresa alemã Mimi divulgou dados sobre o barulho nas cidades, identificando quais eram as mais barulhentas. Zurique, na Suíça, foi apontada como a de menor índice enquanto Cantão, na China, foi apontada como a mais barulhenta. Esta é a ordem das 20 primeiras cidades:

O barulho, por si só, representa riscos para a saúde. A Organização Mundial da Saúde (OMS) assim o reconhece, identificando-o, além disso, como uma ameaça para a população em geral¹.

Mas quais são os riscos do barulho? A exposição constante a volumes altos está relacionada com alterações do sono, doenças cardiovasculares, menor desempenho profissional ou escolar e, claro, com a perda auditiva².

O que a OMS diz sobre a exposição a sons altos?

Segundo a OMS, baseada em um documento publicado pela União Europeia, cerca de 40% da população da Europa está exposta a barulhos de trânsito que superam os 55 decibéis (dB); 20% está exposta a barulhos superiores a 65 dB durante o dia e mais de 30% suporta níveis de barulho que excedem os 55 dB durante a noite. 

Segundo as próprias recomendações da OMS, para um bom descanso durante a noite é necessário que, em média, o barulho não ultrapasse os 30 decibéis. 

Mas e a saúde auditiva? No documento “Perda auditiva devido à exposição recreativa a sons altos³, a OMS reconhece que “a exposição excessiva ao barulho — tanto a exposição prolongada e repetida ao barulho quanto uma só exposição a um som extremamente intenso — causa problemas ao sistema auditivo, o que acarreta em uma perda auditiva induzida pelo barulho. A perda auditiva tende a ser de início lento, mas aumenta sem descanso enquanto continua a exposição. De fato, os efeitos nocivos podem continuar por muito tempo depois de ter acabado com a exposição ao barulho; são irreversíveis”.

Estar exposto a um barulho de 85 decibéis (que é o barulho de uma cidade com alta densidade no tráfego de veículos) durante 8 horas é o limite máximo que o ouvido pode suportar sem ocasionar o início de uma perda auditiva. Inclusive, se você estiver exposto a essa intensidade de barulho durante esse tempo, deve utilizar proteção auditiva para não perder sua audição.

Recomendações para evitar problemas de saúde causados pela exposição ao barulho

O primordial é se afastar do barulho quando for possível ou evitar estar em locais muito barulhentos por longos períodos. Pode ser uma boa ideia baixar no seu smartphone algum aplicativo que permita monitorar os níveis de barulho no seu ambiente.

Se no seu trabalho você tiver que se expor a barulhos de alta intensidade, é importante que tenha bem protegidos os seus ouvidos. Também poderia usar protetores para os ouvidos quando for visitar lugares barulhentos. E não, os fones não são protetores para os ouvidos.

Mantenha sempre que for possível o volume dos seus dispositivos em um nível tolerável para o seu ouvido. Inclusive quando fizer uso dos seus fones, pois também podem ser um risco para a saúde auditiva.

E, finalmente, faça um teste auditivo com frequência para comprovar que tudo esteja indo bem e especialmente se tiver alguma suspeita de não estar ouvindo como antes.

Tenha em conta
A informação neste guia é somente para fins educativos e não tem a intenção de diagnosticar, prescrever tratamento ou substituir o conselho do médico. Consulte o seu médico ou profissional da saúde sobre os tratamentos para a perda da audição. Eles poderão assessorar sobre uma solução adequada para a sua condição de perda auditiva. Todos os produtos devem ser usados somente segundo as indicações do seu médico ou profissional da saúde. Nem todos os produtos estão disponíveis em todos os países. Por favor, entre em contato com seu representante local da Cochlear™.

D1834399

Referencias
¹ https://www.euro.who.int/en/health-topics/environment-and-health/noise/data-and-statistics
² https://www.euro.who.int/en/health-topics/environment-and-health/noise/data-and-statistics
³ Hearing loss due to recreational exposure to loud sounds: https://www.who.int/pbd/deafness/Hearing_loss_due_to_recreational_exposure_to_loud_sounds.pdf