Você não é o único com perda auditiva e tem a possibilidade de tratar-se

perda auditiva
julho 26, 2019

A perda auditiva é mais comum do que se imagina e você pode encontrar diferentes soluções para tratá-la. Confira alguns mitos em relação à perda da audição.

Você percebe que sua audição está diminuindo com a idade? Seu filho nasceu ouvindo bem, mas depois do uso de algum medicamento apresentou perda auditiva? É um adulto, entre 35 e 60 anos de idade e de repente percebeu que não ouve mais como antes?

A perda de audição é mais comum do que você pensa e pode acometê-lo em qualquer momento da vida por diferentes razões.

“O problema da perda auditiva é que não se trata de algo visível, pode ser gradual e, portanto, difícil de detectar, mas, uma vez diagnosticada em qualquer idade, pode ser tratada”, diz Octavio del Moral, médico especialista da Cochlear™.

É por isso que desejamos esclarecer algumas crenças e mitos sobre a perda auditiva:

1. A perda auditiva não é comum.
De acordo com os dados mais recentes da Organização Mundial da Saúde (OMS), “Mais de 5% da população mundial (466 milhões de pessoas) sofrem de perda auditiva incapacitante (432 milhões de adultos e 34 milhões de crianças)”.

Estima-se que até 2050 mais de 900 milhões de pessoas – uma em cada dez – sofrerão perda de audição. Então, você não é o único e, sim, essa situação pode ser tratada.

As causas da perda auditiva podem ser naturais devido ao envelhecimento, às infecções, à exposição ao ruído ou à genética, entre muitas outras razões. De fato, o ruído das atividades industriais, o tráfego de veículos, as sirenes de emergência, o uso de aparelhos eletrônicos, entre outros hábitos da vida moderna, podem nos deixar cada vez mais vulneráveis aos problemas auditivos.

2. Perda auditiva não tem solução.
De acordo com o nível e o tipo de perda auditiva, você pode encontrar várias alternativas de tratamento: aparelhos auditivos e implantes cocleares ou de condução óssea.

Vale ressaltar que essas soluções auditivas, apesar de não curarem a perda auditiva, podem permitir que você ouça, desenvolva a linguagem e tenha uma melhor qualidade de vida.

Se você quer saber mais, consulte o ABC da perda auditiva.

3. Como a perda auditiva não é tão severa, não será notada. O aparelho auditivo aparece muito.
A perda auditiva é inerente à evolução e, no caso de adultos mais velhos, pode ser natural.

Segundo o médico especialista da Cochlear™, Octavio del Moral, às vezes, por razões de vaidade, diferentes grupos da população, incluindo adultos mais velhos, preferem ficar sem ouvir bem ao invés de buscar ajuda auditiva. “No caso dos adultos, eles preferem não ouvir a deixar que os outros vejam seu aparelho e percebam que não escutam. No entanto, a perda auditiva é mais evidente do que um dispositivo auditivo”, diz ele.

Deve-se notar que a mais recente tecnologia em implantes cocleares oferece uma ampla gama de modelos e cores discretas, que permitem um ótimo resultado estético se esse é um fator que preocupa a pessoa.

Assim, tenha em mente essas recomendações:
● O principal é aceitar que tem uma perda auditiva. Se perceber que você, seu filho, um membro da família, um ente querido ou uma pessoa mais velha que você apresenta perda auditiva, não hesite em se aproximar de uma unidade médica para fazer uma avaliação com um médico ou fonoaudiólogo.
● Apenas um especialista poderá verificar se você tem uma perda auditiva e indicar uma solução. Entenda melhor lendo sobre os níveis e tipos de perdas auditivas.
● Existem diferentes testes para detectar perda auditiva. Alguns exigem que o paciente coopere de forma ativa e em otros, o paciente não precisa participar ativamente, como, por exemplo, casos em que o paciente não tem idade suficiente para fazer os testes ativos (recém-nascidos), apresenta alguma deficiência associada à perda de audição ou pacientes que apresentam qualquer outra condição que os impeça de interagir ativamente.

Entre os testes, podemos citar:
● Audiometria, que é o teste padrão que permitirá detectar o limiar e o grau da perda auditiva.
● Outros adicionais como logoaudiometria, timpanometria, reflexo estapediano, triagem auditiva neonatal, emissões otoacústicas, potenciais evocados auditivos (PEATE ou BERA).

Considere que uma perda auditiva, em geral, é progressiva, isto é, pode piorar. Por isso, é essencial ser diagnosticado para receber um tratamento oportuno e adequado.

Se você acha que está começando a ter uma perda auditiva, nós lhe falamos tudo a respeito dessa condição.

Tenha em mente

As informações contidas neste guia são apenas para fins educacionais e não se destinam a diagnosticar, prescrever tratamento ou substituir o aconselhamento médico. Consulte o seu médico ou profissional de saúde sobre tratamentos para perda auditiva. Eles serão capazes de aconselhar sobre uma solução adequada para a sua condição de perda auditiva. Todos os produtos devem ser utilizados apenas conforme indicado pelo seu médico ou profissional de saúde. Nem todos os produtos estão disponíveis em todos os países, portanto, alguns dos produtos aqui mostrados podem não estar disponíveis na sua região. Por favor, entre em contato com seu representante local da CochlearTM.