Aparelhos auditivos versus implantes cocleares para o tratamento da perda auditiva

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Conheça a história de uma jovem com perda auditiva neurossensorial que trocou os aparelhos auditivos por implantes cocleares e confira os benefícios obtidos com essa mudança.

A pequena Leidy Hoyos foi diagnosticada com perda auditiva aos 8 anos de idade. Ela nasceu com audição normal, porém, um pouco mais tarde, um medicamento lhe causou uma perda auditiva neurossensorial bilateral. Há certos tipos de medicamentos que, mesmo sendo úteis para combater determinadas doenças, podem produzir ototoxidade como efeito secundário¹, ou seja, podem alterar o correto funcionamento das estruturas do ouvido, levando à perda auditiva. Isso foi o que aconteceu com a Leidy. 

Como primeira opção de tratamento foi indicado o uso de aparelhos auditivos que não foram suficientes para compensar sua perda auditiva, pois se tornou progressiva, assim, escutava cada vez menos.

Aos 31 anos, várias de suas atividades diárias foram afetadas a ponto de não conseguir conversar com uma pessoa sem olhar para seu rosto para poder ler seus lábios ou decifrar o que estava dizendo. A compreensão das palavras, especialmente em ambientes barulhentos, se converteu em um desafio para ela.

Graças ao acompanhamento de um especialista em audição, Leidy encontrou nos implantes cocleares uma alternativa para a sua perda auditiva. Estes dispositivos auditivos foram a opção para Leidy quando seu contato com os sons ia se perdendo. Em 2017 fez uma cirurgia de implante auditivo da Cochlear™. 

Ela pôde voltar a escutar e a falar melhor? Como é a perda auditiva com aparelhos auditivos x implantes cocleares? Descubra escutando o seu depoimento:

Uma pessoa com perda auditiva leve usa aparelhos auditivos os quais amplificam o som ou “aumentam o volume” do ambiente, permitindo, assim, identificar os sons, compreender a linguagem e os barulhos ao seu redor. 

Quem tem perda auditiva severa ou profunda necessita um implante coclear que substitui as células ciliadas do ouvido interno para poder escutar e diferenciar os sons o que dará a possibilidade de realizar suas tarefas diárias e se relacionar com as demais pessoas em casa, no lugar de estudos, trabalho ou em ambientes de lazer. Isso, portanto, representa bem-estar emocional e mental².

O que é a perda auditiva neurossensorial?

É importante entender um pouco sobre essa condição, um dos tipos de perda auditiva que as pessoas podem ter. 

O ouvido interno e o nervo auditivo estão conectados e precisam trabalhar juntos. O que torna essencial a detecção e o tratamento precoce

 

Isenção de responsabilidade

Procure aconselhamento junto do seu profissional de saúde sobre os tratamentos para a perda auditiva. Os resultados podem variar e o seu profissional de saúde irá aconselhá-lo acerca dos fatores que podem afetar o seu resultado. Leia sempre as instruções de uso. Nem todos os produtos estão disponíveis em todos os países. Contacte o seu representante local da Cochlear para obter informações sobre os produtos.

As opiniões expressas são as do indivíduo. Consulte o seu profissional de saúde para determinar se é elegível para a tecnologia Cochlear.

Referências

¹Em: https://scielo.conicyt.cl/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0718-48162007000200013 

² Depresión y ansiedad en personas con deficiencia auditiva: revisión de literatura http://revistavirtual.ucn.edu.co/index.php/RevistaUCN/article/download/91/185

D1686310-2